sábado, 1 de novembro de 2014

Talvez Eu

Ocasiões dizem 
Como se falassem de você com domínio
Transmitindo percepções
Atingindo e atacando seu ego e desfazendo pulsos de vontades
Não sou eu
Mas...
São conspirações!
Aspirações que passam de alguns para outros
Como verdadeiras tramas do destino
Só que incompleta!
A minha espera
Desesperada espera
Sou o centro de tudo e o centro de nada
Pois como nada me vejo 
Diante da adversidade do sonho
O que me faz continuar a sonhar?
A retomar a vida?
A felicidade da vida!
Que está contida em mim 
E de mim não me faz desistir
Sou revolucionária do meu eu
Luto comigo mesma a cada minuto
[...]
Mas e os outros...
O que fazem sobre mim?
Idealizam o fim da batalha
Me veem com afagos e carinhos
Acompanham meu sonho
E eu?
O que faço de mim?
Indecifrável saber - sigo me descobrindo
Infinitude de possibilidades não permitem parar
Mesmo assim se PARÁ
Para refletir
Para sorrir
Felicidade é o que se busca
Em algum momento se é feliz
A verdadeira felicidade é seguir multiplicando momentos felizes
Talvez eu esteja dentro deste multiplicar
Com a cognição de mundo
Se segue...
Se busca...
Se quer...
Se...

Ser feliz.

Crime e Castigo - Uma Falácia

Descobri que existe homem burro no bom sentido se é que isso é possível. Sabe aquele amigo do Mickey o Pateta? Ele é assim, ingênuo, medroso, mas aquele bem intencionado que dá raiva, principalmente quando tenta consertar uma "burrada". "Pensa em alguém" que não gosta de matemática, mas acredita na probabilidade de que nada vai dar errado quando tem tudo para dar errado e olha que Deus sabe o quanto eu sou paciente, mas ele me testa!
Em termo de sensibilidade ele perde para um elefante quando passa a manada vai pisando em tudo sem consideração e, depois olha e me pede: compreende amor!!! Nessas horas realmente eu não sei se ele me ama ou tem medo do meu olhar... nessas horas tanto faz... o que me deixa feliz é o desespero dele tentando corrigir a burrada e olha que ele se esforça, mesmo assim fracassa, pois meu descontentamento é maior que tudo não adianta ele me olhar com aquela "carinha de bom moço".
Se estou com raiva estou e pronto dou uma de Baby Sauro "não é a mamãe", mas a sorte dele é que é persistente e sabe me conquistar sendo atrapalhado e verdadeiro ao seu estilo quando corrigi seus erros mesmo que venha cometê-los novamente... Que raiva!!! Homem não muda.

Responsabilidade Afetiva

Por Helena Ferreira Deixa eu falar agora sobre responsabilidade afetiva. Você sabe o que significa? Você tem? Veja só: se você co...