sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Pela Não Obviedade da Existência

Eu não tenho o menor interesse em saber o que já sei
Não me satisfaço em ter opiniões
Ela é tão desnecessária quanto o resto
Justificar a existência é enfadonho... Ter que conseguir, ter que conquistar... Vencer.
Isso é óbvio demais para ainda ser colocado em pauta
Não deve-se esperar nada de ninguém para que ninguém espere algo de alguém.
A existência já tem sua própria engrenagem
A grande bobagem é fazer de conta que ela não existe
A existência programada se justifica pela simples digitação deste texto
Estou fazendo algo que não gosto, mas que simplesmente faço para atender alguma contingência humana por explicações e justificações sobre o ser.
Isso é tão inútil, mas o humano busca sempre fazê-lo para tentar ser mais do que é.
Isto faz com que, a ausência de algo sempre preceda alguma indagação
Não quero mais indagar
Quero simplesmente calar.

Que chato!!! 

20 Novas Regras Processuais da Reforma Trabalhista: o que muda na vida da advocacia agora?

Por Lucia Midori Kajino e Amanda Pretzel Claro, advogadas trabalhistas, membras da Rede Feminista de Juristas. A Reforma Trabalhista foi...